Resenha: A culpa é das estrelas


Olá queridos leitores!
Apresento a vocês a resenha de uma das melhores leituras que tive no ano de 2012. Com tudo que um livro tem que ter para prender um jovem leitor...


A Culpa é das Estrelas

A CULPA É DAS ESTRELAS

Em A Culpa é das Estrelas, Hazel é uma paciente terminal de 16 anos que tem câncer desde os 13. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.






Resenha


Não importa o TANTO de palavras eu escreva nesta resenha, nunca conseguirei expressar realmente os diversos sentimentos que  senti enquanto lia este belo livro. John Green, cria uma história onde o impossível é você não sentir, em um misto de emoções. Caro leitor quando você ler este livro prepare o seu coração, mas não pense
 "-AH já sabia um livro que trata sobre câncer só poderia ser dramático e triste mesmo!" 
Ai que você se engana, neste livro estão expostos vários sentimentos, é claro que a tristeza é um deles, mas não é foco, o sentimento principal é o VIVER humano de cada ser humano. Hazel Grace, mais que uma paciente terminal com câncer é uma adolescente de 16 anos com todos os seus conflitos e aflições da idade, sua mãe não para de dizer que ela precisa começar a viver mais!
 Quando ela está no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer e olha para aquele garoto...
"Na boa, vou logo dizendo: ele era um gato. Se um cara que não é gato encara você sem parar, isso é, na melhor das hipóteses, esquisito, e na pior, algum tipo de assédio. Mas se é um cara gato...na boa..." Pág16

Augustus Waters, é tudo o que uma adolescente gostaria de ter é lindo, sexy e companheiro. E não tem como Hazel deixar isso passar...

Augustus é um recém curado de um câncer, que assim como Hazel sabe muito bem o que é ser um jovem doente. Além disso ambos gostam de ler, ele livros de aventura e de vídeo games,  ela livros mais reflexivos. Quando Augustus pergunta para Hazel qual o seu livro favorito, os dois se unem em uma grande aventura às pequenas coisas da vida. Juntos parece que nada mais no mundo importa que tudo o que eles vivem vai muito além do que o que está ocorrendo, eles realmente vivem um GRANDE AMOR, não aquelas de conto de fadas, mas um AMOR possível para ambos, e em cada instante em que eles vivem isso é como se a vida fosse infinita. Um ponto que me comoveu muito nesta história foi isso, viver o seu infinito não importando qual o TAMANHO dele. Por acaso é possível medir o INFINITO? Cada um de nós sentimos quando algo é INFINITO  e está valendo, para alguns pode ser durante um dia, mas já para outros durante a vida toda! 

De uma maneira contagiante o autor faz com que torcemos por eles, parece que você faz parte da história. O autor não mostra os personagens como se o câncer você maior do que eles, mas sim mostra que o câncer faz parte deles não é eles. Quando olhamos para pessoas com câncer olhamos apenas a doença pensamos "-Ah que tristeza" e esquecemos que ali está uma pessoa normal com sentimentos, não apenas câncer. Sinceramente não tenho mais ideia do escrever para lhe dizer o quanto este livro fez eu SENTIR... 
Espero que vocês tenham a oportunidade de lê-lo para tirarem a suas próprias conclusões!

Para finalizar esta resenha:

"Enquanto eu lia, me apaixonava do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra." A culpa é das estrelas.
Comentem muito!
Abraços e boa leitura!

MARAVILHOSO:





Postagens mais visitadas deste blog

Resenha de filme: O labirinto do Fauno

Resenha de filme: Os Outros

Resenha de Filme: A mão que Balança o Berço